Histórico

No final dos anos 60, a Aliança Francesa de São Paulo decidiu abrir uma filial próxima à Cidade Universitária e criar uma biblioteca científica. Em 1972, nasceu o Centro Universitário de Documentação Técnica e Científica (CUDST).

No entanto, estimando que a promoção da documentação técnica e científica francesa não era o seu papel, a Aliança Francesa – que assumia a quase totalidade de sua gestão – retirou-se em 1977.

Foi apresentado um estatuto e, em 11 de maio de 1978, os senhores Max Huet e François Nieto fundaram uma nova sociedade civil de direito brasileiro sem fins lucrativos: o Centro franco-brasileiro de Documentação Técnica e Científica, conhecido como CenDoTeC.

Por outro lado, considerando a importância da relação com o Brasil, em janeiro de 1979, o governo francês integrou o CenDoTeC à rede dos Cedusts, Centros de Documentação Universitária mantidos no exterior, e passou a designar seu diretor. Desde então o Centro passou a assumir uma dupla nacionalidade e, em 1983, o Ministério das Relações Exteriores decretou sua autonomia financeira.

Inicialmente concebido como uma biblioteca e um centro destinado a receber pesquisadores e visitantes interessados na cultura científica francesa, desde sua consolidação no início dos anos 80, o CenDoTeC posiciona-se na vanguarda da promoção e utilização de tecnologias e suportes de informação.

Em 1987, um grande volume de livros foi doado para Universidades. A redução dos serviços ligados à biblioteca possibilitou ao CenDoTeC intensificar o desenvolvimento de atividades editoriais.

A partir de informações recebidas das principais instituições de pesquisa e ensino da França, o Centro passou a divulgar mais amplamente as inovações científicas e tecnológicas francesas inicialmente por meio de comunicados de imprensa e, em seguida, através de suas próprias publicações.

Em 1999, mesmo com a extinção dos Cedusts, o CenDoTeC prosseguiu seu trabalho.

A evolução do CenDoTeC passou por diversas fases de implantação: de sua criação ao final dos anos 80 – serviço de documentação científica e técnica em torno de uma biblioteca; do final dos anos 80 a 1993 – atividade editorial; de 1994 a 1996 – centro de recursos para o pesquisador e criação do site; de 1996 a 2000 – aprimoramento das atividades em curso, valorizando a cooperação franco-brasileira.

A partir de 2000, o CenDoTeC adaptou-se às tecnologias de informação e comunicação disponíveis, seja implementando ferramentas internas de trabalho colaborativo, fornecendo acesso por videoconferência aos seus serviços ou melhorando o fluxo em pull e push de suas informações.

Em 2002, em parceria com o CampusFrance, assumiu uma nova missão: a de informar e orientar os brasileiros interessados em estudar na França. Esse serviço incorporou, em 2006, os procedimentos pré-consulares para obtenção do visto de estudante. Tem também a função de promover os estudos na França por meio da participação em eventos de informação a estudantes e da organização de encontros entre representantes do ensino superior francês com estudantes e homólogos brasileiros.

Por outro lado, à atividade editorial e de criação de conteúdo para a internet, somou-se a atividade de gestão da Comunidade França-Brasil, rede social binacional que possui mais de 15.000 membros.

Nesse longo trajeto, dez Diretores e oito Presidentes já estiveram no comando do CenDoTeC.

 
Busca